Notícia - Fepospetro participa de reunião com o Carrefour sobre direitos dos frentistas

Na ocasião, foram colocadas em debate as principais irregularidades praticadas pela rede varejista tais como número insuficiente de trabalhadores nos postos, problemas com utilização do banco de horas e com o pagamento de horas extras em feriados.

Além de Luís Arraes, presidente da Federação Estadual dos Frentistas – Fepospetro – e do Sinpospetro de Osasco, também participaram do encontro, realizado virtualmente no último dia 18, o presidente da Federação Nacional dos Frentistas (Fenepospetro) e do Sinpospetro do Rio de Janeiro, Eusébio Luís Pinto Neto e lideranças de sindicatos de frentistas de várias cidades e estados.
 
Luis Arraes, durante a reunião, cobrou o fim imediato dos meios antissindicais praticados pelo  Carrefour, que opera em 13 estados do país com 75 postos de abastecimento, trinta deles no estado de São Paulo. Encaminhamentos – Pelo lado patronal, falaram o diretor de relações sindicais do Carrefour, Arismar Souza, e o gerente nacional do Carrefour, Leonardo Silva. 
 
Eles negaram que as práticas antissindicais sejam sistemáticas e disseram que os “problemas pontuais” nesse sentido serão resolvidos. 
 
Continuidade – Nos últimos anos, a Fepospetro,  em conjunto com o dezessete sindicatos  filiados, reforçou a  sua atuação de combate às ilegalidades praticadas pelo Carrefour. Em 2017, por exemplo, após uma série de reuniões, a entidade conseguiu formalizar  com a multinacional  a imediata aplicação de reajustes sobre salários e benefícios, entre outras adequações previstas na Convenção Coletiva da categoria. 


Fonte:  Fepospetro / Fenepospetro - 25/11/2020


Comentários