Notícia - Com luta, trabalhadores da Movent conquistam indenização social

Os trabalhadores da Movent, na zona leste de São José dos Campos, aprovaram o acordo de indenização social em virtude do fechamento da fábrica. A assembleia decisiva, realizada nesta quinta-feira (24), também colocou fim à greve iniciada no dia 16.

Os 47 metalúrgicos da Movent vão receber uma indenização de R$ 12 mil por conta do encerramento das atividades da empresa, que acontecerá em agosto. Além disso, os operários vão receber aviso prévio indenizado, a segunda parcela da Participação dos Lucros e Resultados (PLR) e as verbas rescisórias.

O acordo também garante a extensão do convênio médico e o pagamento de cesta básica por nove meses, de setembro a maio de 2022.  

Luta pelo emprego

 A mobilização em defesa dos empregos começou no início do mês, quando a direção da Movent comunicou ao Sindicato a intenção de encerrar a produção ainda em junho. Uma primeira paralisação, realizada no dia 3, evitou que isso ocorresse.

Mas a mobilização dos trabalhadores e a nova greve, que totalizou 8 dias, conseguiram fazer avançar a concessão de um pacote de benefícios que atenua um pouco a situação da perda dos empregos.

A proposta inicial da empresa era de uma indenização de apenas um salário a mais e três meses de convênio e cesta básica. A luta, portanto, foi essencial para que a indenização fosse ampliada.

"Desde o início, queríamos a manutenção dos empregos e essa era a nossa principal reivindicação. Mas, infelizmente, como isso não foi possível, buscamos uma indenização maior para dar algum tipo de suporte aos trabalhadores", afirmou o diretor do Sindicato Cristiano de Souza.

Em luta pelos empregos, o Sindicato cobrou posicionamento em defesa dos metalúrgicos da Prefeitura e Câmara Municipal de São José dos Campos, bem como do governo do Estado de São Paulo.

Para o presidente do Sindicato, Weller Gonçalves, os órgãos públicos fizeram muito pouco pelos operários.

"Infelizmente, as empresas no Brasil têm a prerrogativa de fazer demissões de forma imotivada, ao contrário do que ocorre em muitos países. Por isso, é muito importante discutir com os trabalhadores a necessidade de nos mobilizarmos para que o Congresso Nacional ratifique a convenção 158 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que proíbe demissões sem justa causa", defendeu.


Fonte:  Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos - 24/06/2021


Comentários